Posts Tagged ‘pais e filhos’

NA MINHA ÉPOCA…

Friday, August 28th, 2009

- Pai, mãe, essa daqui é a Maria, minha namorada.

Os pais engoliram em seco, deram um sorriso forçado e cumprimentaram a garota. Quando ela foi embora, eles foram até o quarto do filho.

- Meu filho, que menina é essa que você tá namorando? – perguntou o pai

- Ué, eu falei dela… colega minha de classe, pai.

- Mas a cor de pele dela, meu filho… – tentou a mãe

- Pô, mãe, que isso?!? Que preconceito é esse…

- Meu filho não é preconceito, é só preocupação. – argumentou o pai

- Que que tem a cor da pele dela? Eu gosto!

- Mas, Luquinha, meu filho. A pele dela é verde! – disse a mãe, apontando o óbvio.

- Eu acho lindo! Tá todo mundo usando, agora. Eu até tava pensando em mudar a minha pra azul…

- Não vai mudar porra nenhuma! – estourou o pai

- Calma Cristiano, olha a sua pressão… – apazigou a mãe

- Esse menino tá me tirando do sério, Flávia! – disse o pai, apontando o óbvio

- Eu não tô fazendo nada! Vocês é que são velhos! Não entendem nada do que tá na moda.

- Então moda agora é mudar a cor de pele? É ficar parecendo o E.T.? – confirmou o pai

- Quem é Étê?

- Filho, seu pai tá nervoso, não piora a situação…

- Esse menino tá é muito mimado! Imagina se meu pai ia aceitar esse monte de escarnificação, ele nem aceitou minhas tatuagens e piercings. E agora vem com essa idéia de mudar a cor da pele. – terminou o pai, saindo do quarto e indo para a sala.

A mãe foi atrás.

- Cristiano, a gente tem que tentar entender. Os tempos mudaram…

- Agora eu entendo o meu pai.

- A gente tem que ver o lado bom. Ela é uma menina educada e tá deixando o Lucas feliz. – a mãe tentou conciliar.

- É, ela é educada mesmo. E pelo menos é ela, né? Vai ver esse menino conserta e pára de ficar pulando de homem pra mulher!

- Cristiano, olha a pressão…

FASE DIFÍCIL

Friday, August 14th, 2009

- Pai, mãe, a partir de agora eu sou autofagiana! – disse ela, com muito orgulho.

Os pais trocaram aquele olhar que já virara uma tradição antes do almoço de domingo. A sua filha mudava de regimes alimentares toda semana, cada vez mais radicais.

Começou com um inocente Pesco-Ovo-Lacto-Vegetariana, o que não chegou a incomodar. A mãe ainda podia fazer sua famosa bacalhoada que o pai tanto adorava. Eles diziam juntos: ela tem 15 anos… é só uma fase.

Mas ela não parou mais. Aos poucos foi cortando os prefixos do nome e os ingredientes do bacalhau: Ovo-Lacto-Vegetariana, Lacto-Vegerariana e, finalmente, Vegetariana.

Sem prefixos para eliminar, comeu parte da palavra e virou Vegana. Acreditavam que tinha alcançado o ponto máximo quando, finalmente, na última semana se tornou uma Frutariana Radical. Obrigando sua mãe a procurar por frutas em chão de pomares, para fazer o almoço da família.

Eram pais modernos e queriam apoiar essa demonstração de independência e amadurecimento da filha mesmo que, no fundo, o pai achasse coisa de viado e a mãe sentisse saudade do bacalhau. Já imaginando o que eles seriam obrigados a comer agora, perguntaram quase ao mesmo tempo.

- E o que é isso, minha filha?

- É uma nova filosofia que tá todo mundo seguindo. A gente acredita que até mesmo o Frutarianismo agride a natureza, roubando adubos e sementes. Então o autofagiano só pode comer ele mesmo.

Os pais acharam um absurdo. Tentaram dialogar, explicar que não tinha sentido, que era agressivo ao corpo em desenvolvimento da filha. Foi em vão. Ela já tinha cortado os mindinhos de ambos os pés. Pediu para a mãe preparar ao alho e óleo.

O almoço foi silencioso, se não contar o barulho da filha chupando os ossinhos de seus dedos. Os pais comeram suas frutas podres pensativamente. Se sentiram dois retrógrados e nada modernos. No almoço seguinte, cortaram eles seus mindinhos para mostrar suporte. A sua filha, como sempre à frente, entregou à mãe a sua mão esquerda. Foi quando os pais viram que não podiam competir. Assumiram que estavam ultrapassados e voltaram a ser omnívoros, esperando que a filha mudasse de idéia ou, pelo menos, de dieta.

Mas a garota continuou com suas fortes convicções de adolescente. Comeu braços, pernas, coxas, nádegas e seios. Fica deitada na cama o tempo todo agora. Todo dia, a mãe entra no quarto pela manhã e retira metade do fígado para cozinhar acebolado. No fundo, o pai ainda pensa que é coisa de viado, a mãe continua preferindo bacalhau, mas continuam repetindo: ela tem 15 anos… é só uma fase.


62de8809-5561-4597-848f-c8f70554d2b1